quinta-feira, fevereiro 20Campos Altos - Minas Gerais - Brasil
Shadow

Sim, cadeirantes existem!

E a cidade deve ser pensada para isso!

Duas recentes situações constroem a potência dessa frase. A primeira, o evento ocorrido no início do mês de agosto, em Campos Altos, nossa cidade. A segunda, a afirmação, vestida de questionamento, sobre a falta de políticas públicas para que nossas cidades de fato aconteçam! O evento era protagonizado por música e cultura. Mas o acesso a ele era “limitado”.

Minha formação é de arquiteta urbanista, profissional habilitada para a ciência do planejamento urbano, necessário para que as nossas cidades aconteçam. Penso que o planejamento urbano envolve amplos segmentos desde a cultura, história, memória, mas fundamentalmente trata do espaço físico. E percebi nesse evento, bem como já pudera notar em outros, dos quais também participamos “na garra”, que eles nunca são pensados para a inclusão e a diversidade.

Precisamos de um olhar das pessoas para isso! De um olhar para as pessoas! Falo até pelo número de frequentadores neste evento, ele não abrigaria nem mais um pouco além dos já tão poucos presentes. Uma pena! O evento era, sobretudo, enriquecedor e de caráter agregador, onde estavam presentes música, arte, cultura, tradição e memória. Deveria estar lotado e minimamente ser pensado do ponto de vista físico, planejado.

Espaço é de fundamental importância no desenvolvimento do cidadão. Acesso a esse espaço é de pleno direito de qualquer cidadão. Não podemos não planejá-lo. Não podemos não abrigar a diversidade de público, negar sua existência, em quaisquer que sejam suas condições físicas. Esse é essencialmente o direito à cidade, ao qual todos temos, sem distinção.

Segundo dados do IBGE, 24% da população brasileira se declara com algum tipo de deficiência, ¼ da população. É muito! E porque nunca pensamos nessa parcela?

Fica o convite. Comece pela porta da sua casa. E vá aos poucos estendendo o olhar sobre a cidade. Precisamos falar de cidades acessíveis, de cidades para todos!

Aline Cipriano